Turismo de Experiência em meio à natureza na Estância Hidromineral de Socorro

História e cultura são transmitidas aos turistas por meio de vivências em fazenda de café, alambique, mirante, cervejaria, hotel e rancho

O contato com a natureza e com os animais também são parte desta experiência no Campo dos Sonhos. Foto: VGCOM/ASTUR

Estância Hidromineral de Socorro – cidade turística localizada no Circuito das Águas Paulista e referência em aventura e ecoturismo – se dedica em atender as necessidades e aspirações dos diferentes turistas. Atualmente, oferece vários tipos de turismo, entre eles o de experiência, que ganha cada vez mais adeptos na cidade. O benefício é que as opções estão todas inseridas em meio à natureza e ao ar livre, preferência de destinos, nesta época de pandemia.

No turismo de experiência existe interação mais aprofundada com o espaço visitado, que envolva temas da região como história, cultura e gastronomia, por exemplo. Para a Associação de Turismo da Estância de Socorro – ASTUR, “a ideia é que este turista aprenda algo novo, viva algo inusitado, seja visitando uma fazenda de café e conhecendo a importância dela para o entorno e finalizando com o cheirinho de café que o remete a boas lembranças, saboreando um bolinho de chuva que faz lembrar a infância ou conhecendo a horta orgânica de onde vem o alimento”. E completa: “ele busca viagens que estimulem seus sentidos e sentimentos; quer produtos e serviços diferenciados que despertem emoções únicas e marcantes”.

Em Socorro, os apreciadores de café não podem deixar de fazer a visita guiada na Fazenda 7 Senhoras. Nela, o turista conhece a plantação e o processo de beneficiamento do café, conduzido por um guia que apresenta a história da fazenda e do trabalho no pós-colheita, que compreende a etapa da via úmida, terreiro, secadores, bem como a unidade de beneficiamento e seleção de grãos. Nada melhor que finalizar na cafeteria, onde um barista demonstra alguns métodos de preparo de café, descreve as principais características e oferece para degustação. A visitação leva 1h30 e custa R$ 40 por pessoa.

Fazenda 7 Senhoras. Foto: VGCOM/ASTUR

A fazenda oferece também a visita básica, com 45 minutos e que inclui a apresentação na cafeteria com demonstração do barista e degustação do café, a R$ 25 por pessoa. Nos dois casos é necessário agendar com antecedência pelo site. São cinco horários às quintas, sextas e sábados, que vão das 9h20 às 16h.

Uma das vivências mais concorridas da cidade é o Pan de Palo no Mirante Pedra Bela Vista. A receita peruana foi ambientada em um dos pontos mais altos de Socorro, em meio à natureza e conquistou os turistas. A massa do pão é colocado em uma haste de madeira para possibilitar que a pessoa asse na brasa da fogueira. Depois disso, é possível escolher entre cerca de nove sabores – que podem variar – para rechear o pão. O resultado é delicioso, mas o bate papo com risadas e histórias em torno da fogueira quase rouba a cena. Por falar em cena, fazer a experiência durante a contemplação do pôr do sol é um esplêndido pano de fundo. Oferecido todos os dias, das 10h às 19h, custa R$ 15 por pessoa e não é preciso agendar.

Pan de Palo na Pedra da Bela Vista (foto tirada antes da pandemia). Foto: Marcel Fraga

Quem cresceu ou passou férias quando criança no campo vai adorar o café caipira do Rancho Pompéia. “Aquela” mesa farta na varanda, cheia de guloseimas feitas com amor e capricho, com certeza remeterão a muitas lembranças da infância. A propriedade rural e familiar produz doces, geleias, pães, biscoitos e queijo. Todos inclusos no café caipira, que ao todo oferece mais de 20 itens. Focado no resgate das tradições, o objetivo é fazer lembrar aquele sabor da casa da vó, com o bolinho de chuva, bolo de maçã com canela e cuca de maçã e de banana, por exemplo. Tudo isso com muita prosa, claro, em uma aconchegante casa estilo colonial.

O café caipira pode ser saboreado todos os dias das 8h às 11h e das 15h às 18h, para grupos de no mínimo 10 pessoas, precisa ser agendado e custa R$ 25,00 por pessoa; crianças de 6 a 11 anos pagam R$ 15 e até 5 anos é gratuito.

Outro lugar que é para voltar à infância é o sítio Sabores do Currupira, também com o café caipira. São mais de 20 itens caseiros e artesanais que incluem 4 tipos de bolos, 4 tipos de pães caseiros João deitado, bolinho de chuva doce, bolinho de chuva salgado, torta de legumes, queijo fresco, doces, café, leite, suco, fruta da época e as famosas geleias feitas com frutas plantadas e colhidas ali mesmo. Após o café, um animado passeio de trator pela propriedade de agricultura familiar, para conhecer um pouco do dia a dia. O passeio termina em um lugar estratégico para apreciação do pôr do sol. O café é servido todos os dias, das 14h às 17h e custa R$ 45 por pessoa. Precisa ser agendado com antecedência e está disponível para grupos de no mínimo 12 pessoas.

Sitio Sabores do Currupira. Foto: Shane Glen

A cervejaria Quinta do Malte – mais antiga cervejaria artesanal da cidade e instalada em meio à natureza – produz uma linha de cervejas e chopes artesanais com uma das melhores águas do país. Além disso, utiliza processos que garantem uma bebida de sabor único e exclusivo, “feita com arte e paixão”, como gostam de enfatizar. Isso pode ser sentido nos tours pela fábrica, guiados pela beer sommelier Candy Nunes.

Cervejaria Quinta do Malte. Foto cedida pela Assessoria de Imprensa

São cerca de 45 minutos de uma verdadeira aula sobre a história da cerveja, escolas cervejeiras, estilos, insumos, processos de fabricação e curiosidades. O momento especial é o percurso dentro da cervejaria, para conhecer e identificar as etapas de produção até chegar aos tanques de maturação e poder degustar dois estilos diferentes. A visitação é realizada aos sábados (11h, 14h e 16h) e domingos (11h e 14h) e deve ser agendada com antecedência. O valor é de R$ 48 por pessoa, que ganha um kit com uma taça personalizada.

Se a preferência é por uma “branquinha”, o turista deve conhecer o Alambique Pioneira, que oferece visitação gratuita. Nela, em 40 minutos o visitante acompanha a história do local e todos os processos e curiosidades da fabricação de cachaça e licores. Também fabricam rapadura, açúcar mascavo e melado. O alambique funciona de segunda a sábado, das 8h às 17h, e domingo, das 9h às 12h, com pausa para o almoço das 11h às 12h. Não é preciso agendar, a não ser grupos acima de 10 pessoas.

Alambique Pioneira, Socorro/SP. Foto: Shane Glen

A rede dos Sonhos que engloba os hotéis fazenda Campo dos Sonhos, Parque dos Sonhos e Colina dos Sonhos, também oferece uma experiência bem interessante, que engaja e estimula o envolvimento com a comunidade e cultura local. A visita monitorada é realizada pelos recreadores que mostram e explicam: as formas de energia natural presentes, como a roda de água e monjolo; as ocas dos índios construídas em 2000; a horta horgânica, onde, entre outras coisas, aprendem a diferença entre hortas; o alambique, para ver toda a fabricação, com direito a degustação de licor e cachaça; a casa de doces, onde são evidenciadas opções de reutilização, como a casca de melancia, que é transformada em doce; o “cafezal ao cafezinho”, onde os hóspedes conhecem todo o processo de preparação do café e têm contato com o café em grão, em pó e em cápsula, com degustação. O tour é diário, gratuito e tem duração de cerca de 2 horas.

Passeio de trator pelo Parque dos Sonhos. Foto: VGCOM/ASTUR

Todos os associados da ASTUR estão devidamente orientados sobre os protocolos de prevenção da Covid-19. Cada estabelecimento adotou medidas apropriadas para o tipo de negócio, mas em todos, por exemplo, o uso de máscara pela equipe e pelo turista é obrigatório e está à disposição o álcool em gel. No caso das visistações, o número de pessoas é limitado para evitar aglomeração.

No serviço você confere os locais, endereços, preços e horários:

Alambique Pioneira – estrada Municipal. dos Pereiras – Visita guiada: de segunda a sábado, das 8h às 17h e domingo, das 9h às 12h, fecha das 11h às 12h; gratuito; não é preciso agendar, a não ser grupos acima de 10 pessoas.

Fazenda 7 Senhoras – Estrada do Bairro do Serrote  –  Visita guiada: às quintas, sextas e sábados (9h20, 11h, 12h40 e 16h). Agendamento antecipado pelo site www.fazenda7senhoras.com.br . De R$ 25 a 40 por pessoa.

Hotel Fazenda Campo dos Sonhos – Estrada dos Sonhos, Km 06 s/n, Estrada Lavras de Baixo

Hotel Fazenda Colina dos Sonhos – Estrada do Serrote, km 12 – Serrote

Hotel Fazenda Parque dos Sonhos – Estrada da Varginha, km 7, s/n Zona Rural

Pedra Bela Vista – Estrada Municipal dos Cubas, s/n Dos Cubas  – Pan de Palo: todos os dias, das 10h às 19h; R$ 15 por pessoa; não é preciso agendar

Quinta do Malte – rodovia capitão Bardoino, 4320 – Nogueiras –  Tour guiado: sábados (11h, 14h e 16h) e domingos (11h e 14h); agendamento antecipado pelo: (11) 9.8186.9191. R$ 48 por pessoa

Rancho Pompéia – Estrada da Pompéia, 3,5 km  –  Café Caipira com agenda prévio: todos os dias, das 8h às 11h e das 15h às 18h; grupos com no mínimo de 10 pessoas;  custa R$ 25,00 por pessoa; crianças de 6 a 11 anos pagam R$ 15 e crianças até 5 anos não pagam.

Sabores do Currupira – Sítio Santa Cruz, Currupira, km 14  –  Café Caipira: todos os dias, das 14h às 17h; R$ 45 por pessoa; grupos de no mínimo 12 pessoas; necessário agendar com antecedência pelo (19) 9.9940.3236.

Descubra Socorro

Estância Hidromineral de Socorro, a “cidade aventura”, é um dos nove municípios a integrar o Circuito das Águas Paulista. Já é referência nacional em turismo de aventura e turismo acessível e se dedica para se tornar também um destino sustentável e pet friendly. Para isso, diversas ações de conscientização são criadas e envolvem moradores, empresários e turistas. Gastronomia variada, lazer para toda família e a melhor experiência em atividades culturais e passeios cercados pelas belezas naturais da Serra da Mantiqueira. Visitas guiadas ou autoguiadas em mais de 1300km de caminhos rurais disponíveis ao público.

ASTUR

A Associação de Turismo da Estância de Socorro – SP, que tem como objetivo a promoção de ações para o desenvolvimento sustentável das empresas associadas e o fomento do turismo de Socorro, sempre em consonância com o COMTUR (Conselho Municipal de Turismo) da cidade. Na “Estância Hidromineral” – status conquistado por cumprir determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual, o que também dá o direito ao município de agregá-lo ao nome -, atualmente, são 60 empresas associadas de diversos setores turísticos como hospedagem, ecoturismo, atividades de aventura, turismo rural, gastronomia e compras.

VGCOM – VANESSA GIANNELLINI COMUNICAÇÃO
Jornalista Responsável: Vanessa Giannellini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui