Regionalização é destaque em seminário de Turismo do RMVale com participação do Circuito Litoral Norte

A necessidade de regionalizar o turismo foi um dos temas de grande relevância abordados no evento Meon: Diálogos & Estratégias – Turismo, realizado pelo Grupo Meon de Comunicação na última quarta-feira (16).

O Circuito Litoral Norte participou do seminário, onde também estiveram presentes importantes nomes como Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado, William França, secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTUR, e Toni Sando, presidente da UNEDESTINOS, e teve a oportunidade de reforçar esse ponto, que é um dos pilares de sua atuação desde sua fundação, há pouco mais de dois anos.

Integrando as cidades de Bertioga, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba, o consórcio turístico promove ações de divulgação, promoção, desenvolvimento e capacitação para todo o trade regional visando, principalmente, profissionalizar o turismo e organizar a região do Litoral Norte como um produto completo e pronto para ser vendido tanto ao mercado nacional, quanto internacional.

Segundo apresentação no evento, o Circuito Litoral Norte de São Paulo, dando sequência aos seus objetivos de criar um plano regional complementar de turismo, profissionalizando toda a gestão do setor, 2020 foi um ano de capacitação e preparação do empresariado que atua na fase antecipada do turismo regional,

Todas as ações, que contaram com a parceria de entidades como ABIH e SEBRAE, além da Secretária de Turismo do Estado, são pensadas regionalmente, favorecendo igualmente os cinco municípios.

Segundo o secretário de Turismo do Estado, Vinicius Lummertz, os municípios que queiram crescer no turismo precisam pensar de forma integral. “É preciso que a região se entenda, com suas rodovias, as suas estradas, o seu aeroporto, a sua movimentação, a movimentação dos turistas, o alongamento das estradas”.

Ainda sobre a região do Litoral Norte, Lummertz ressaltou suas potencialidades e a necessidade da união entre poderes público e privado para a criação de produtos. “É uma região que é um potencial de turismo internacional. Na Argentina, há uma demanda pelo Litoral Norte. É preciso criar um produto que nós possamos divulgar e que os municípios comecem a entender que podem investir”.

Outro tema tratado na apresentação do consórcio foi a qualificação do turista que chega à região. A ideia é desenvolver um turismo sustentável, mantendo o visitante por mais tempo na região, oferecendo uma experiência regional completa e, por consequência, aumentando o tíquete médio.

“Se o turista vem para ficar só em um destino, ele fica um dia ou dois e vai embora; se ele fica em uma região como a do Vale do Paraíba, ele pode ficar 10 ou 15 dias e vai ter muita coisa para fazer”, afirmou o presidente do Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDT-CEMA), Bruno Omori.

Selo Turismo Responsável

Comprovando a preocupação de toda a região do Vale do Paraíba e Litoral Norte em promover o turismo seguro, a adesão ao selo Turismo Responsável, do Ministério do Turismo, vem se confirmando um sucesso entre as empresas e profissionais do segmento.

De acordo com dados apresentados pelo secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTUR, William França, mais de 800 empresas regionais já estão reconhecidas com a chancela, concedida aos empreendimentos e profissionais do segmento que estão cumprindo os protocolos de segurança e saúde recomendados pelos órgãos oficiais.

“O selo é parte essencial do plano de retomada do turismo. O Brasil foi o 10º país do mundo a ter essa chancela de padrões e exigências a serem seguidas”, ressaltou o secretário.

Agora, além de funcionar como um instrumento de marketing que comprova a segurança de um destino, o reconhecimento também vem sendo utilizado como importante orientador para mostrar que os empreendimentos turísticos estão cuidando da saúde dos turistas e profissionais do setor.

Na região do RMVale, os segmentos que mais cadastraram empresas, até então, foram: meios de hospedagem, agências de turismo, transporte turístico, restaurantes e eventos.

Também em sua apresentação, França comentou sobre a tendência de viagens hiperlocais, rodando nas proximidades de carro e sobre a importância da profissionalização do turismo.

“Estamos trabalhando para tornar o turismo efetivamente mais profissional. Para tirá-lo da informalidade. Quando se tem um sentido de organização em conjunto, isso é bastante positivo e todos ganham”, finalizou.

Se você trabalha com turismo no Litoral Norte, obtenha seu selo em www.turismo.gov.br/seloresponsavel

Elíria Buso
Assimptur Assessoria de Imprensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui