Maceió, o “Paraíso das Águas”, completa 205 anos

Um dos principais destinos turísticos do país alia cultura e história a belezas naturais exuberantes

O mar azul turquesa e de temperatura amena atrai milhares de turistas a Maceió. Foto: Phillipe Medeiros

A capital de Alagoas completa 205 anos neste sábado (05.12). São mais de dois séculos encantando moradores e turistas pela vasta beleza natural e atrativos culturais presentes na região. Os 40 km de costa maceioense estão ornados de coqueiros e banhados de um mar azul turquesa, responsável por dar o apelido de “Caribe Brasileiro” à cidade. Mas Maceió se diferencia, e muito, da região da América Central, principalmente pela rica gastronomia regional, a cultura e o receptivo povo brasileiro.

É da praia de Pajuçara que saem os passeios para o local mais conhecido e fotogênico de Maceió: as famosas piscinas naturais, que ficam a dois quilômetros da costa. Com a água translúcida, é possível realizar mergulhos entre os corais e experimentar a vida marinha de perto. Pajuçara é uma das praias mais badaladas da orla urbana da cidade assim como Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas. Ao norte da capital, o turista pode se deleitar nas praias mais afastadas como Ipioca, Pratagy, Sereia, Riacho Doce, Guaxuma e Jacarecica. Já ao sul, as mais frequentadas são as praias do Gunga e do Francês. Opções não faltam!

Ademais da larga oferta de litoral, Maceió também é conhecida como “Paraíso das Águas” por conter em seu território 17 das inúmeras lagoas espalhadas por Alagoas, vindo daí o nome do estado. A mais famosa delas, a Lagoa Mundaú é considerada um dos maiores ecossistemas de Alagoas e possui 23 km de extensão abrigando espécies de vida marinha, como moluscos, peixes e crustáceos. No local são realizados passeios para conhecer a vegetação, praias isoladas e ilhas onde vivem pescadores e rendeiras.

O Teatro Deodoro, patrimônio cultural de Alagoas, completou 110 anos em novembro. Foto: Marco Ankosqui | MTur

Foi nesse cenário nativo alagoano que a escritora Clarice Lispector viveu por um período de sua infância e encontrou inspiração para ambientar o início da vida de uma de suas personagens na obra “A Hora da Estrela”. A cidade também é famosa por ser o berço de importantes nomes da história nacional como Deodoro da Fonseca, primeiro presidente do Brasil, e Floriano Peixoto, primeiro vice-presidente e segundo presidente do país. Os dois líderes tiveram os nomes eternizados em dois importantes monumentos da cidade: o Palácio Marechal Floreano Peixoto e o Teatro Deodoro.

No roteiro histórico e cultural, também é possível visitar a Catedral de Nossa Senhora dos Prazeres; a Biblioteca Pública Graciliano Ramos; o mirante da Igreja de São Gonçalo; o Museu Theo Brandão; a Fundação Pierre Chalita, renomado artista plástico alagoano; a Praça dos Martírios, que abriga diversos atrativos culturais; e diversas feiras de artesanato, importante ativo econômico local, que gera emprego e renda a milhares de trabalhadores.

PATRIMÔNIO IMATERIAL

Apesar de ser um dos menores estados do Brasil, Alagoas possui um rico patrimônio imaterial derivado de suas vertentes étnicas. Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o folclore da região reúne mais de 30 manifestações tais como Pastoril, Guerreiro, Taieira, Baianas, Reisados, Marujada, Presépio, Cavalhada, Bandos dos Carnavalescos, Cambindas, Negras da Costa, Samba do Matuto, Caboclinhos, Torés de Índio e de Xangô, as Danças de São Gonçalo, o Coco Alagoano e Rodas de Adulto.

Rafael Brais
Ministério do Turismo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui